sábado, 17 de dezembro de 2011

fato


de mim
que sou bruma
e noite
às vezes lua
quase nunca madrugada
inútil falar a ti
que és pedra e rio e sol a pino

não entenderias



Márcia Maia


3 comentários:

Aletheia disse...

Adorei!

mfc disse...

Entendo perfeitamente esse desentendimento!

Edgley disse...

Apolo e Dionísio. Perfeito, Márcia. Estou adorando o teu blog.