domingo, 16 de outubro de 2011

réquiem


e assim quase sem sentir
tu morreste de mim
desde então velo-te em vão



Márcia Maia


5 comentários:

mfc disse...

Sempre as memórias do nosso desassossego!

Iara Maria Carvalho disse...

se eu te velo,
tu velejas.

lindo, lindo.

beijos daqui.

heretico disse...

... e no entanto o luto está presente!

beijo

Felicidade Clandestina disse...

vagas lembranças...

Felicidade Clandestina disse...

novo link do blog: http://consideracaodopoema.blogspot.com/


beijos, márcia,