segunda-feira, 4 de julho de 2011

epigrama


os anjos
que aqui dormiram
meu bem
nunca foram os mesmos
— coitados! —
voltaram pra casa a pé
sozinhos e depenados



Márcia Maia


6 comentários:

hfm disse...

Quando um toque de humor se alia à poesia pode dar, como neste, um poema de génio. Um beijo, amiga.

Ricardo Mainieri disse...

Parece que esses anjos, Márcia, andaram dando um rolê aqui por Porto Alegre.(rs)
Vc. é afiada no miniconto!

Abs.

Ricardo Mainieri

mfc disse...

Nada permanece.
A única constante... é a mudança!

heretico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
heretico disse...

bem feito! - quem manda os anjos irem além de seu celestial chinelo!

amei o poema.

beijos

Creito disse...

poesia pura.