quarta-feira, 27 de outubro de 2010

prisma


rené magritte©
















à janela da cozinha derrama-se
o pôr-do-sol e atinge-me em cheio
a mim que só buscava beber um copo d'água
e ali permaneço imobilizada em tons de
carmim e azul-turquesa
como se fôramos juntos o copo o céu a cozinha
e eu um grande bloco colorido de cristal
prestes a partir-se tão logo se encerre
à janela mais este pôr-do-sol



Márcia Maia


4 comentários:

Antonio Siqueira disse...

BELÍSSIMO! Uma ação, um momento que seria apenas instintivo para a maioria dos mortais, desenha-se o quadro mágico de uma poesia única e solene. Que você seja sempre muito feliz!

Antonio Siqueira

Lara Amaral disse...

Uau, de um lirismo arrebatador, amei!

Adriana Karnal disse...

Márcia,
vejo a imagem: tu, o copo, e o por do sol a derramar-se...nada mais sublime.

wind disse...

Belíssimo!
Beijos