quarta-feira, 1 de setembro de 2010

tudo muito simples


o café recém-coado
o cheiro de pão quente
com manteiga
mais um gol de ronaldo na tv
e de quebra o céu claro ainda azul

seria uma tarde perfeita
não houvesse o morto na casa
ao lado
e o choro das crianças abafando
o cantar dos passarinhos



Márcia Maia


5 comentários:

livia soares disse...

Belo blog, Márcia.
Voltarei para ler mais.
Um abraço.

Antonio Siqueira disse...

Nada que a própria natureza não cure, amiga. As lágrimas enxugam e, ao mesmo tempo, secam as raízes...

Beijos

Ricardo Mainieri disse...

Gosto demais deste teu poema.
Ele nos faz lembrar que nossa vida se contagia do mundo que nos circunda.
É possível ser feliz, completamente, com o Planeta devastado, com a morte espreitando, com a dor e a pobreza batendo na porta do lado?
Em poucas linhas, tocaste na profundidade do ser...

Beijão.

Ricardo Mainieri

livia soares disse...

Caríssima,
grata pela visita; espero contar com sua presença sempre que vc puder e quiser;
acabo de acrescentar seu blog à
minha lista de favoritos.
Voltarei para ler com calma e explorar os espaços.
Um abraço.

JUSSARA MIDLEJ disse...

Êh, Márcia... vc sabe capturar, como ninguém, a cotidianeidade da vida... Adoro seus poemas!

De vez emquando vou levar alguns pra passear lános fractaisdemim.blogspot.com

Grande abraço!