quinta-feira, 3 de junho de 2010

corpus christi


depois
do amor adormecido
teu

é esse
o corpo que venero
hoje

de homem — sem deus



Márcia Maia


5 comentários:

líria porto disse...

os teus versos - belos como sempre...
besos

hfm disse...

Como sempre a força das tuas palavras sem perda da poética. Belíssimo. Saudades tb, amiga.

Adriana Karnal disse...

Márcia,
poesia sacro-agnóstica. `Muito apropriada para hoje.
Ah, fiquei feliz que estás visitando meu blog :)

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Passando por aqui...

Ótimo!

CC

heretico disse...

frágil - "humano, demasiado humano..."

beijo