segunda-feira, 29 de março de 2010

heresia


márcia maia©















não azul — imensa e branca
a lua da páscoa

a mais atéia das luas

invariavelmente
me comove

(decifra-me)

e sempre me deixa
mais só



Márcia Maia


2 comentários:

Raimundo disse...

Heresia é não apaludir!!
Então: clap clap clap.
Lindo.

Mayrant Gallo disse...

Seus poemas são sempre um alento, Márcia! Já listei o Itinerário no meu blogue. Abraço!