sexta-feira, 22 de abril de 2011




A chuva enxágua as calçadas
da sexta-feira
deserta.

Encharcada, a miséria se abriga
sob os pórticos das igrejas
antigas
pintadas de novo

- preciosamente preservadas -

sombria imagem de esquecidos.

Não há páscoa, nesta cidade
de vivos-mortos.

Sem ressurreição e sem saída
aqui é sempre
- e todo dia -
sexta-feira da paixão.



Márcia Maia


4 comentários:

wind disse...

Boa Páscoa!
Beijos

Creito disse...

me tornei um leitor compulsivo teu.

beijo

addiragram disse...

Um grande abraço!

Lara Amaral disse...

Também não costumo ver nada ressurgindo por aí.

Muito bom, Márcia!

Beijo.