sexta-feira, 24 de setembro de 2010

flagrante





             enquanto na vitrola
                  stormy weather
             na rua me espreita
             a lua
             quase tão só e tão
             nua
                         quanto eu



             Márcia Maia

3 comentários:

livia soares disse...

Beleza, Márcia.
E Ella na vitrola é sempre um privilégio, não importa o quanto a gente esteja - ou se sinta - só. Afinal, é na solidão que se forjam poemas.
Um abraço.

heretico disse...

dolente e belo
como a nudez da lua cheia

beijos

Tim Soares disse...

Você sabe que sou seu fã, né Márcia?

Esses "curtinhos" que você faz são maravilhas perfeitas multi-coloridas!!!