terça-feira, 17 de agosto de 2010

a day in a life


flávio machado©




















as portas todas abertas
e a mesma escuridão por sob os olhos

inútil acender luzes e velas
inútil por demais arregalá-los

                 (
     apenumbrapersiste
          adensa-se
            insiste
                 )

melhor talvez tentar um baseado



Márcia Maia

3 comentários:

Ricardo Mainieri disse...

Os claroscuros de la alma, os meandros e zonas neutras.
Belo poema baseado em cannabis, em jazz & sinceridade.
Teu Quarto Crescente está lá, iluminando meu blog.

Beijão.

Ricardo Mainieri

heretico disse...

intenso. e vibrante. como a luz negra das estrelas...

beijos,

grato.

Ricardo Mann disse...

Acho que o baseado está entre os parêntesis.