segunda-feira, 26 de julho de 2010

inércia


exausta
deito-me à margem do dia
sem viço

e sonho
alheios sonhos antigos
sem nexo



Márcia Maia


Um comentário:

heretico disse...

nas margens os dias. correm...

belissimo.

beijos