sexta-feira, 9 de abril de 2010

Sem remédio



ASL-90.004/305.B12 acreditou quando lhe contaram que, na face oculta da Lua, havia uma caverna aonde, durante a lua nova, os andróides se transformavam em humanos assim que nela penetravam. Buscou-a com afinco. Nada encontrou além de areia, pedras e uma bandeira antiga, listrada e rota. Desolada, lançou-se no espaço na esperança de que algum raio a atingisse e destruísse. O que não tardou a acontecer.



Márcia Maia

2 comentários:

wind disse...

Adoro estas "estórias":)
Beijos

procivil disse...

Isso não é fácil.
jogar o leitor, de cara, na "intimidade" da idéia e provocar-lhe o gosto, a vontade de interagir, e encontrar um ponto final, e ficar com a idéia, ainda íntima, e..

:)

beijo!