sexta-feira, 2 de abril de 2010























a chuva enxágua as calçadas
da sexta-feira
deserta

encharcada a miséria se abriga
sob os pórticos das igrejas
antigas
pintadas de novo

— preciosamente preservadas —

sombria imagem de esquecidos

não há páscoa nesta cidade
de vivos-mortos

sem ressurreição e sem saída
aqui é sempre
— e todo dia —
sexta-feira da paixão



Márcia Maia


17 comentários:

Carpe Diem disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
L. Rafael Nolli disse...

Márcia! Sem palavras para a beleza desse poema... (a imagem como uma luva, coroando os seus versos.) Basta apenas ler, ler, e sentir. Abraços.


*ps Aguardo o seu endereço para encaminhar meu livro.

Fred Matos disse...

"não há páscoa nesta cidade
de vivos-mortos
sem ressurreição e sem saída"


Ótimo poema, Márcia, no qual há poemas entre poemas.

wind disse...

Excelentes os escritos atrás deste e certeiro este poema!
Boa Páscoa:)
Beijos

myra disse...

otimo poema!!!!
bjs

Maju Costa disse...

Que surpresa! Muitos e ótimos ovos de Páscoa servidos em toda a sua real rudeza... e magniíficos sabores.
Maju

nanamerij disse...

Um belo blog, de dliciosa leitura.
Parabéns!
anamerij

Ricardo Mann disse...

Gostei muito, é uma boa crítica social. Também questiono a indiferença da igreja com os miseráveis que ficam às suas portas.

Nilson Barcelli disse...

Há quanto tempo não a lia querida amiga. Ainda bem que "ressuscitou"... para continuarmos a ler a excelente poesia que faz. Há uns 4 ou 5 anos que a leio e nunca me canso.
Boa Páscoa para vc e para a sua família.
Um beijo.

Henrique Rodrigues disse...

Muito bom, Márcia. Parabéns! Beijão.

mariza disse...

amiga, cá estou pra receber o presente de páscoa. lindo, lindo poema. agora nós é gêmela também no blogspot... hehehehe
beijo, saudades.

dade amorim disse...

Beleza, Márcia! Parabéns pelo Itinerário - lindo! - mais um ponto da rede pra gente encontrar você e seus poemas.

Boa Páscoa!

Beijo beijo.

Wescley J. Gama disse...

parabéns, poeta! seu escrever continua preciso no lirismo e nas imagens. Mais um espaço para nosso deleite. grande abraço seridoense!

jorge vicente disse...

e aqui é sempre sexyta-feira de poesia!

Um grande abraço e muitos parabéns pelo blog!

Jorge

Beth disse...

Que presente!! Belo poema, Márcia! Um beijo de feliz páscoa.

Gerusa Leal disse...

Magnífico poema, Márcia. Maravilhoso presente de Páscoa este seu novo blog. Saúde e vida longa.

Antonio Adriano de Medeiros disse...

Olá, Márcia!

Meus cumprimentos pelo novo blog,
muito bonito e rico em conteúdo.

Vou deixar um soneto afim:

A METÁFORA DO GÓLGOTA

Talvez existisse ainda uma metáfora
nas cruzes de Roma no Monte da Caveira.
Talvez houvesse nas pendidas escápulas
um retrato da humanidade inteira.
Um terço de justos e dois terços de ladrões
talvez seja realmente a porcentagem
que retrata, nas mais devidas proporções,
os seres que trajam de homens a roupagem.
Um terço de ingênuos vive e morre em vão:
são os melhores homens, que têm um ideal.
Dos dois terços restantes, chamam de “mau ladrão”
àquele criminoso, o que perpetra o Mal.
O que sobra, afinal, é homem de valor,
pois todo bom ladrão é um empreendedor.

Antônio Adriano de Medeiros